Produção de alimentos compostos para animais em 2018

Em 2018, a produção de alimentos compostos associada na IACA registou um incremento de 2,5%, o que fico a dever-se o crescimento nos alimentos para bovinos (3,0%) e outros animais (18,0%), face a uma relativa estagnação na produção de alimentos para aves (0,8%) e a um ligeiro decréscimo nos suínos (-1,4%). Estas tendências acabam por estar relativamente coerentes e em linha com a Estatística da amostra que mensalmente analisamos.

É de destacar, no entanto, os outros animais, em que a maior variação face à amostra fica a dever-se ao facto de, por exemplo, os alimentos para petfood (entre outros), não serem contemplados, uma vez que as principais empresas produtoras não fazem parte desse universo. E este é um mercado claramente em expansão (4% de quota de mercado das empresas associadas na IACA), com uma componente de exportação igualmente significativa e que, em alguns casos, se situa no patamar dos 30%.

Ao nível da estrutura da produção, a liderança do mercado continua a pertencer ao setor avícola, com cerca de 44% da produção de alimentos compostos, seguindo-se os bovinos e suínos com uma grande proximidade (23% e 22% respetivamente), e os outros animais a reforçarem a sua quota de penetração no mercado, atingindo-se os 11%.   A par da tendência para a especialização, alguma concentração da atividade e resiliência do mercado livre, estas foram as principais características do mercado nacional em 2018, ainda condicionado pelo impacto da seca nos ruminantes, sobretudo nos primeiros meses.

Produção de Alimentos Compostos para Animais
(Empresas Associadas na IACA)

1 000 Toneladas

20172018Var.%
Aves1 4081 4190,8
Bovinos7317533,0
Suínos742732-1,4
Outros30536018,0
TOTAL3 1863 2642,5

ESTRUTURA DA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS COMPOSTOS EM PORTUGAL

EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS COMPOSTOS