Quem somos

Como nasceu a IACA

Em 3 de Fevereiro de 1966 numa assembleia geral de industriais de alimentos compostos para animais é aprovada a iniciativa da constituição da sua associação de classe e eleita uma comissão que inicia o estudo dos respectivos estatutos.

Em nova assembleia geral de 26 de Julho de 1967, com a participação de mais de 90% das empresas então em actividade, são aprovados, por unanimidade, os estatutos do GNIACA – Grémio Nacional dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais, que vêm a ser homologados por despacho do então Ministro das Corporações e Previdência Social que, em 13 de Janeiro de 1969, assina o respectivo alvará, iniciando a sua actividade institucional em 1 de Setembro do mesmo ano.

Por conveniências estruturais, a GNIACA dá lugar à Associação Portuguesa dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais – IACA – em 1 de Janeiro de 1975.

A IACA integra 55 empresas de alimentos compostos para animais que, no seu conjunto, dispõem de 62 unidades fabris e 10 empresas fabricantes de pré-misturas, num total de 65 sócios.

As associadas têm um volume de negócios na ordem dos 1.000 milhões de euros.

A nossa missão

Principais actividades da IACA

  • Prestar informações, dar pareceres e propor medidas sobre a problemática sectorial
  • Promover o estudo de questões relativas à actividade das Empresas associadas, estimulando entre elas uma eficiente e leal cooperação
  • Representar a Indústria perante a Administração Pública, outras Associações e órgãos nacionais e estrangeiros, Sindicatos e Público em geral
  • Criar, promover e manter serviços de interesse para o desenvolvimento da Indústria
  • Colaborar com organizações públicas e privadas em acções de formação científica, técnica e económica
  • Conceder apoio jurídico, técnico e económico às Empresas associadas
  • Contratação Colectiva de Trabalho
  • Revista Alimentação Animal
  • Anuário IACA
  • Relatório anual de actividades
  • Informação Semanal
  • Fichas Técnicas de matérias-primas
  • Código de Boas Práticas de Fabrico de Pré-Misturas e de Alimentos para Animais
  • Análises mensais de conjuntura
  • Estudo sectorial

Representações a nível nacional e internacional

FEFAC

Conselho da FEFAC

José Romão Braz
Cristina de Sousa (suplente)

Assembleia-Geral

Cristina de Sousa
José Romão Braz

COMITÉS

Nutrição animal

Manuel Chaveiro Soares
Ana Cristina Monteiro (suplente)

Produção Industrial de Alimentos Compostos

Jaime Piçarra (Vice-Presidente)

Premix

Pedro Folque
Ingrid Van Dorpe (suplente)
Ana Cristina Monteiro (suplente)

EFMC

Ana Cristina Monteiro

Colégio de diretores

Jaime Piçarra

FIPA

Direção

Cristina de Sousa

PARE (Política Agrícola e Relações Externas)

Jaime Piçarra (Coordenador)

Ambiente

Ana Cristina Monteiro

Secretários-Gerais

Jaime Piçarra

NORMALIZAÇÃO

ONS

Maria Ilidia Felgueiras
Ana Cristina Monteiro

CT 37 – Alimentos para Animais

Maria Ilidia Felgueiras
Ana Cristina Monteiro

COMISSÃO CONSULTIVA CULTURAS ARVENSES (G.P.P.)

Jaime Piçarra

BOLSA DO BOVINO

Jaime Piçarra (Presidente da Assembleia Geral)

CIB – CENTRO DE INFORMAÇÃO DE BIOTECNOLOGIA

Jaime Piçarra (Presidente da Assembleia Geral)

GRUPO DE DIÁLOGO CIVIL ”Culturas Arvenses”)

Jaime Piçarra

Uma indústria de confiança

A indústria de alimentos compostos para animais é essencial ao funcionamento das explorações agro-pecuárias, contribuindo de forma decisiva para a formação de uma parte substancial dos rendimentos agrícolas

É insubstituível na produção e abastecimento de bens de consumo essenciais e, indirectamente, na melhoria da dieta alimentar dos portugueses

O valor da sua produção e do sector dos fabricantes de pré-misturas aproxima-se dos 1.000 milhões de euros/ano, estando ao seu alcance incorporar uma parcela, cada vez mais importante, dos recursos agrícolas nacionais.

Através das ligações estreitas que mantém com a pecuária nacional, contribui para a difusão de modernos métodos de produção, desenvolvimento de novas produções, melhoria e organização técnica das explorações e substanciais aumentos da sua produtividade.

Os seus objectivos são os de fornecer, cada vez mais, alimentos seguros e isentos de riscos, de elevado valor nutritivo e complementar adequadamente, em relação a algumas espécies animais, as forragens de base cultivadas nas explorações agrícolas.

Fortemente preocupada com a rastreabilidade, saúde, bem-estar animal e segurança dos consumidores, a Indústria dispõe de laboratórios próprios, utilizando, também, outros quer oficiais quer privados, para o controlo da qualidade das matérias-primas e dos produtos que fabrica.

  1. A IACA – Associação dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais – comemora este ano o seu 40º Aniversário. São quarenta anos na defesa dos interesses da indústria de alimentos compostos, da pecuária e dos produtores nacionais.
  2. A Regulamentação existente impõe o Registo e Aprovação de todos os operadores da cadeia alimentar, exigindo permanentes melhorias tecnológicas e nutricionais.
  3. Preocupada com a qualidade e a segurança dos alimentos produzidos e comercializados pelos seus associados, a IACA elaborou um Guia de Boas Práticas para o Fabrico de Alimentos Compostos e Pré-Misturas, reconhecido pelas autoridades nacionais e aplicado em todas as empresas associadas.
  4. Com este Guia, as empresas estão melhor preparadas para controlar todas as fases do processo de fabrico, o que lhes permite prevenir, identificar e resolver potenciais problemas.
  5. As empresas associadas da IACA dispõem de Sistemas de Controlo de Qualidade e são permanentemente fiscalizadas pelas autoridades oficiais.
  6. Quando um produtor adquire e manipula matérias-primas e produtos que não conhece, pode colocar em risco a qualidade da carne, do leite e dos ovos, a saúde animal e a segurança dos consumidores.
  7. No seu interesse, exija alimentos controlados. Verifique as etiquetas, assegure-se da origem dos produtos e se as empresas estão legalmente autorizadas.
  8. Para sua defesa, prefira alimentos produzidos pelas empresas associadas na IACA. Contribua para o reforço da confiança nos produtos de origem animal produzidos em Portugal

ALIMENTOS COMPOSTOS PORTUGUESES

PARCEIROS PARA O SEU NEGÓCIO