A pegada de carbono do desperdício alimentar está ao nível do 3º país mais poluente do mundo. E 40% desta responsabilidade está do lado dos consumidores.

O Movimento Unidos Contra o Desperdício (MUCD) estima que cada português desperdice cerca de 100 kg de alimentos por ano, o que perfaz um milhão de toneladas de alimentos que vão diretamente para o lixo. “O desperdício alimentar tem elevados custos ambientais, sociais e económicos”, refere Francisco Mello e Castro, coordenador do MUCD, no Dia Mundial de Consciencialização para as Perdas e o Desperdício Alimentar, assinalado a 29 de setembro.

A nível ambiental, é responsável por 10% do total de emissões de gases de efeito de estufa (GEE), o que significa que “se considerássemos o desperdício alimentar como um país seria o 3º mais poluente do mundo”, acrescenta Mello e Castro. Acresce que 38% do consumo de energia no sistema global alimentar são dedicados à produção de comida que é desperdiçada ou perdida.

Os custos sociais são também “gravíssimos”. Tendo em conta que um terço de todos os alimentos produzidos no mundo são desperdiçados, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), “temos ao mesmo tempo 700 milhões de pessoas que vivem na pobreza e com grandes dificuldades de acesso a bens de consumo básico. Há aqui um desequilíbrio enorme”, destaca.

Uma realidade que tende a piorar com o […]

Continue a ler este artigo no Jornal de Negócios.

Fonte: Agroportal