Desde garantir que os alimentos processados permaneçam seguros e em condições a melhorar o sabor, os aditivos têm várias funções. Antes de poderem ser utilizados, há que atestar a sua segurança.

Costuma olhar para o rótulo dos alimentos que tem em casa? Se a sua resposta é “sim”, com certeza já se deparou, na lista de ingredientes, com aditivos alimentares. Estes estão presentes em muitos dos alimentos que incluímos na nossa dieta diária e podem ter diversos objetivos, desde aumentar o período de vida útil do produto, a melhorar a sua textura, conferir cor ou sabor.

Os aditivos alimentares, podem ser referidos no rótulo de mais do que uma forma: além da sua função, devem ser indicados pela classe funcional e nome específico do aditivo alimentar (por exemplo, “corante – curcumina”) ou pelo número E (por exemplo, “corante: E 100). E porquê utilizar estes números para designar o aditivo? Para simplificar. Por vezes, são substâncias que têm nomes químicos complexos. Enquanto consumidores, quando nos deparamos com ingredientes que nos são desconhecidos ou denominados por números, é natural que questionemos se são seguros para a nossa saúde ou até se esse alimento será uma boa escolha. Mas, se os comemos, temos de os conhecer. Por isso mesmo, está na hora de desmistificar os aditivos alimentares e perceber se há riscos associados ao seu consumo.

Continue a ler a notícia no Observador

Fonte: Tecnoalimentar