Está prevista a possibilidade de desencadear um ‘alerta da União’ perante escassez, cenário no âmbito do qual a diminuição da procura de gás se tornaria obrigatória.

A meta para reduzir voluntariamente 15% do consumo de gás na União Europeia (UE) entra esta terça-feira em vigor, até à primavera de 2023, visando aumentar o armazenamento nos Estados-membros e criar uma almofada perante eventual rutura no fornecimento russo.

A entrada em vigor do regulamento, publicado na segunda-feira em Jornal Oficial da UE, surge na sequência do acordo político alcançado no final de julho em Bruxelas, ocasião na qual os 27 chegaram a um compromisso em torno da proposta apresentada pela Comissão Europeia com vista à redução de 15% do consumo do gás entre o corrente mês de agosto e 31 de março de 2023, mas já com novas exceções para abranger a situação geográfica ou física dos países.

O compromisso foi adotado formalmente pelo Conselho da UE na passada sexta-feira, por maioria qualificada, com os votos contra de Hungria e Polónia. (…)

Continue a ler esta notícia aqui.

Fonte: Lusa