Estudo português mostra que, se a água de rega ou os solos estiverem contaminados, as plantas absorvem os microorganismos, que são depois transmissíveis pela alimentação. Produtos biológicos são mais propensos à contaminação, diz à VISÃO Célia Manaia, uma das autoras da investigação

[…]

“Fomos tentar compreender se as bactérias resistentes a antibióticos conseguem sobreviver nas raízes das plantas. E a resposta é sim”, diz à VISÃO Célia Manaia, uma das autoras do estudo. “Se tivermos um solo rico em organismos nocivos, esses organismos vão ser absorvidos. As plantas podem, então, servir como vetor de transmissão de bactérias resistentes do ambiente para os humanos.”

Na prática, o que acontece é que as plantas se limitam a captar as bactérias que encontram no ambiente: se os solos e a água não estiverem poluídos, absorvem bactérias benéficas; se estiverem poluídos, absorvem as más, lê-se na conclusão do estudo. “Plantas comestíveis que são normalmente consumidas cruas (…) podem ser vetores relevantes de bactérias resistentes a antibióticos. A nossa mensagem principal é que as plantas comestíveis podem ser seguras ou representar um risco microbiológico, dependendo da qualidade e segurança das águas e dos solos utilizados para a produção das plantas.”

Produtos bio mais suscetíveis a contaminação

Célia Manaia, que no ano passado foi uma dos 16 cientistas portugueses a entrar na lista dos mais citados do mundo (uma forma de medir a influência do trabalho que desempenham) […]

Continue a ler este artigo na Visão.

Fonte: Agroportal