Para 2022, foram atribuídos à promoção dos produtos agroalimentares da UE, dentro e fora do seu território, no total, 185,9 milhões de euros. À semelhança de 2021, o programa de trabalho no âmbito da política de promoção do próximo ano centra-se nos produtos e práticas agrícolas que apoiam os objetivos do Pacto Ecológico Europeu, como a produção biológica da UE, a fruta e os produtos hortícolas, a agricultura sustentável e o bem-estar dos animais.

«A promoção da qualidade e da segurança dos produtos agroalimentares, dentro da UE e à escala mundial, constitui uma dimensão importante do apoio da Comissão aos agricultores e produtores», afirmou o comissário da Agricultura, Janusz Wojciechowski. «O papel da nossa política de promoção na transição para sistemas alimentares sustentáveis é fundamental. Queremos aumentar a sensibilização para a agricultura biológica e para práticas agrícolas mais sustentáveis, e, ao mesmo tempo, promover a fruta e os produtos hortícolas frescos, essenciais para uma alimentação saudável e regimes alimentares equilibrados. Se queremos que mais produtores se associem à transição ecológica, a procura destes produtos deve aumentar.»

A política de promoção cofinanciará campanhas em consonância com as ambições do Pacto Ecológico Europeu, apoiando objetivos da Estratégia do Prado ao Prato, do Plano Europeu de Luta contra o Cancro, do Plano de Ação para o Desenvolvimento da Agricultura Biológica e da Comunicação sobre a iniciativa de cidadania europeia «Fim da era da gaiola». Essas campanhas informarão os consumidores europeus e do resto do mundo sobre a agricultura biológica, a agricultura sustentável da UE e a contribuição do setor agroalimentar para a ação climática e a proteção do ambiente. No interior da UE, as campanhas promoverão uma alimentação saudável e regimes alimentares equilibrados, graças a um aumento do consumo de fruta e de produtos hortícolas frescos.

Além disso, com vista a uma maior coerência com o plano europeu de luta contra o cancro, o material de promoção visual das campanhas terá de remeter para as orientações dietéticas nacionais do país da UE visado.

Outro objetivo das campanhas consistirá em chamar a atenção para as elevadas normas de segurança e qualidade, bem como para a diversidade e características tradicionais dos produtos agroalimentares da UE, o que passa pela promoção de regimes de qualidade à escala da UE, como é o caso das indicações geográficas na UE.

Por último, no que diz respeito às campanhas realizadas fora da UE, é dada prioridade aos mercados com elevado potencial de crescimento, como o Japão, a Coreia do Sul, o Canadá e o México. Prevê-se que as campanhas selecionadas contribuam para intensificar a concorrência e o consumo de produtos agroalimentares da UE, bem como para aumentar a sua visibilidade e a sua parte de mercado nos países visados.

Os convites à apresentação de propostas para as campanhas de 2022 serão publicados no início desse ano. A apresentação de propostas e de pedidos de financiamento está aberta a um vasto leque de organismos, como organizações comerciais, organizações de produtores e grupos agroalimentares responsáveis pelas atividades de promoção. Os projetos serão avaliados à luz dos objetivos climáticos e ambientais da PAC, do Pacto Ecológico Europeu e da Estratégia do Prado ao Prato, em especial no que diz respeito à sustentabilidade da produção e do consumo.

Contexto

A política da UE em matéria de promoção dos produtos agroalimentares visa intensificar a concorrência do setor, tirando partido da expansão dos mercados agroalimentares mundiais e promovendo um maior conhecimento das elevadas normas que se aplicam à agricultura da UE, nomeadamente em termos de qualidade e de sustentabilidade. Esta política está atualmente a ser revista, como previsto na Estratégia do Prado ao Prato.

Para mais informações:

Programa de trabalho anual em 2022

Avaliação da política de promoção agrícola da UE — mercados internos e mercados de países terceiros

Promoção dos produtos agrícolas da UE

Fonte: Comissão Europeia