Portugal subscreveu, na Cimeira do Clima das Nações Unidas (COP 26), que decorre na cidade escocesa de Glasgow, a «Glasgow Leaders’ Declaration on Forests and Land Use», a «World Leader Summit Statement on the Breakthrough Agenda» e a redução global de 30% das emissões de metano até 2030 face aos valores de 2020.

No primeiro caso, trata-se de um compromisso para travar e inverter a desflorestação até 2030, através da proteção da floresta e outros ecossistemas, acelerando a sua recuperação e promovendo o aumento da sua resiliência, ações que Portugal já tem vindo a desenvolver.

No segundo caso, os compromissos assumidos definem objetivos ambiciosos para 2030 em três dos quatro setores económicos estratégicos identificados nesta Agenda e que, em conjunto, representam mais de 50% das emissões globais de gases com efeito de estufa.

Quanto à redução das emissões globais de metano, a iniciativa, consistente com a ambição do Roteiro de Neutralidade Carbónica 2050 e com o Plano Nacional de Energia e Clima 2030, permitirá conhecê-las e medi-las melhor, mas também avaliar a cada ano o nível de progresso por comparação com as metas.

Portugal compromete-se, assim, a trabalhar em conjunto com outros países e organizações para promover a aceleração da inovação e a aplicação de tecnologias limpas nas áreas do transporte rodoviário, energia e hidrogénio, fundamentais para o desenvolvimento de uma economia neutra em carbono.

Mais informação pode ser vista aqui e aqui.

Fonte: Ministério do Ambiente e Ação Climática