A Federação Agrícola dos Açores lamenta que a antecipação de 50% das medidas do desenvolvimento rural ocorridas no continente, não se tenham estendido à região.

O Governo da República procedeu à antecipação extraordinária de 50% dos pagamentos de medidas no âmbito do Desenvolvimento Rural, que permitiu aos agricultores do continente, receberem apoios referentes à manutenção da atividade agrícola em zonas desfavorecidas, produção integrada e agricultura biológica, de modo a minimizar as consequências decorrentes da pandemia do covid-19.

Infelizmente, a entidade lamenta, em comunicado de imprensa, que “esta antecipação não se estendeu à região, pelo que, os agricultores açorianos não foram contemplados por uma medida justa e que se enquadrava nas reivindicações da Federação Agrícola dos Açores, de antecipar os pagamentos das ajudas comunitárias até 15 de agosto”.

“A Federação Agrícola dos Açores entende que esta situação demonstra uma falta de articulação entre o Governo dos Açores e o Governo da República, que vem prejudicar duma forma direta o rendimento dos agricultores açorianos, já que a antecipação de 50% das medidas do Desenvolvimento Rural (englobadas no Prorural+) na região, teria um valor aproximado de 12 milhões de euros”, apontam.

Face à “situação difícil” da agricultura dos Açores, agravada pelas consequências da pandemia do covid-19, “esta seria uma medida importante para o rendimento dos agricultores, já que o Governo dos Açores não tem cumprido atempadamente os pagamentos prometidos, e que resulta em muito, de não querer assumir um calendário indicativo regional de pagamentos”, concluem.

Fonte: Agronegócios