junho 2020

REFLEXÕES COVID-19

• Continuamos a viver a pandemia Covid-19, que mudou o mundo e a nossa forma de viver. Felizmente, o setor da Produção Animal manteve a sua atividade, pelo que as empresas de pré-misturas e de aditivos continuaram a trabalhar, adaptando-se a uma nova realidade de menor contacto social e de divulgação de informação através de meios tecnológicos. Feiras, congressos e reuniões têm sido cancelados ou adiados por todo o mundo, pelo que as próximas Jornadas de Alimentação Animal deverão ser feitas neste novo sistema.

• O mundo mudou mas não parou – a Comissão Europeia apresentou a sua estratégia “Farm To Fork” para produzir alimentos sustentáveis, colocando em prática os princípios de redução de antibióticos na pecuária, novas regras de bem-estar animal (incluindo transportes e abate de animais), redução da pegada ambiental da produção animal e redução do desperdício alimentar. Estratégia ambiciosa, numa altura de generalizada crise económica e social europeia e mundial, que levou o secretário-geral da IACA, Engº Jaime Piçarra, a escrever, entre outros, um oportuno artigo no jornal Expresso, com o título “Biodiversidade & “Do Prado ao Prato”: a vitória de Pirro?”

• Neste contexto de produção de alimentos, veio também o Prof. Manuel Chaveiro Soares relembrar o importante papel do conhecimento científico, através de um artigo para a FEFAC “Importance of scientific progress in the abundant production of healthy foods – an unprecedent historic success”, com publicação no Agroportal.

• Quem também não parou foram as autoridades fiscalizadoras ligadas ao setor da alimentação animal (DGAV, DRs, IGAMAOT,…), em particular, as ligadas às áreas ambientais, demonstrando uma falta de articulação com as empresas de alimentos para animais e estas de grande necessidade em formação, aspeto que a IACA deverá ter em conta nas suas ações futuras.

Pedro Folque