O aumento dos teores de humidade do solo, as temperaturas amenas e a ausência de geadas promoveu o rápido desenvolvimento vegetativo dos prados, pastagens e culturas, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE), no seu Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Janeiro de 2020.

Nas zonas mais afectadas pela precipitação intensa, observa-se uma natural diminuição do vigor, sendo que o alagamento dos solos também dificulta o acesso dos efectivos às áreas de pastoreio.

As necessidades forrageiras das diferentes espécies pecuárias ainda não estão a ser totalmente satisfeitas com o pastoreio, havendo a necessidade de recorrer a fenos, silagens e/ou alimentos concentrados na maioria das explorações, realçam os técnicos do INE.

Dezembro quente e chuvoso

Acrescenta o Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Janeiro de 2020 que o mês de Dezembro caracterizou-se, em termos meteorológicos, como quente e chuvoso.

A temperatura média do ar, 11,0 ºC, foi 1,0 ºC superior à normal (1971-2000), sendo o terceiro registo mais elevado de Dezembro desde 2000.

Quanto à precipitação, o valor médio mensal foi superior à normal em cerca de 27%, tendo-se registado uma distribuição espacial heterogénea: nas regiões Norte e Centro, e em particular devido à passagem das depressões Elsa e Fabien, registaram-se valores muito acima da média; no Sul a precipitação foi inferior à média, sendo que no sotavento algarvio os valores não ultrapassaram os 40% da normal (1971-2000).

Fonte: Agricultura e Mar Actual