A associação ambientalista Zero aponta que “Portugal não vai conseguir cumprir as metas de reciclagem de resíduos urbanos impostas pela União Europeia para 2020, fazendo o país parte da lista negra da Comissão Europeia”.

Com os presentes já desembrulhados, a quantidade de papel de embrulho desperdiçado é elevado e com a recolha dos resíduos em pausa durante a época festiva, o lixo vai-se acumulando nas ruas.

A associação ambientalista Zero indica algumas recomendações para os dias do ano com maior produção de resíduos. “Nos presentes que tenham embrulho é importante reutilizar embalagens anteriores ou mesmo encontrar formas criativas de evitar o embrulho”, declara a Zero.

As embalagens das prendas contém diversos materiais, como papel e plástico, sendo que a associação ambientalista aconselha em “separar as diferentes embalagens para depois destiná-las a recolha seletiva, depositando-as posteriormente no ecoponto mais próximo”.

Também na alimentação das festividades acontece algum desperdício. Aqui, a ordem é não desperdiçar a comida que sobra do dia 24 e 25 de dezembro, sendo que “o que sobrou pode ser reutilizado noutros pratos”. “A melhor forma de conservar as sobras sem que estas entrem em contato com substâncias prejudiciais é utilizar recipientes feitos de vidro, de cerâmica ou de aço”, aconselha a associação.

Ainda nos presentes, a Zero sustenta que “para o ano há Natal”, aconselhando os cidadãos a desembrulhar as prendas com cuidado, sendo que este gesto simples “é uma enorme ajuda na prevenção de resíduos”. “É simultaneamente um desafio e uma oportunidade para em aniversários próximos ou daqui a um ano não ser necessário adquirir embrulhos, ajudando na diminuição de consumo de recursos e indiretamente na redução de emissões poluentes causadoras das alterações climáticas”, indica a Zero.

Embora não existam estatísticas oficiais relativamente à quantidade de resíduos produzidos, é quase certo afirmar que a época natalícia é onde se regista o maior pico. A associação ambientalista Zero aponta que “Portugal não vai conseguir cumprir as metas de reciclagem de resíduos urbanos impostas pela União Europeia para 2020, fazendo o país parte da lista negra da Comissão Europeia”.

No ano passado, cerca de 24% dos resíduos geridos pelos sistemas foram reciclados ou compostados e os portugueses aumentaram a produção de lixo em 4,2%, tendo gerado 5,2 milhões de toneladas de resíduos, um efeito verificado pela atenuação da crise económica e consequente aumento do consumo. Ainda assim observou-se um aumento da separação do lixo e o respetivo envio para reciclagem

Fonte: Newsletter Anilact