Apesar de ameaçado pelo aumento da temperatura, a diminuição da precipitação e o empobrecimento dos solos, o montado tem potencial para resistir e ainda ajudar a travar a desertificação que ameaça o Alentejo.

O montado (sobreiro e azinheira) é um suporte essencial à nossa biodiversidade e aos ciclos da água e do clima, sendo mais resistentes aos fogos e dando um contributo muito importante de CO2.

Anualmente, os gases de efeito estufa emitidos que resultam de incêndios e desmatação de florestas, são superiores aos resultantes dos veículos e indústria.

É necessário não apenas reduzir as emissões, assim como plantar e preservar as florestas, para fazer face às alterações climáticas.

O montado é uma espécie de floresta montada pelo homem, que domina a paisagem alentejana, composto maioritariamente por sobreiros  e azinheiras. É um bosque ordenadamente alinhado e organizado, planeado estrategicamente, visando proteger o sobreiro, responsável pela produção de cortiça e ressalvando o papel de destaque que Portugal tem como maior exportador desta matéria.

A biodiversidade dos montados carateriza-se pela prevenção que traz aos fogos, pelas ervas aromáticas que o envolvem e pelas espécies animais que abriga, desde o porco alentejano à cabra serpentina.

Fonte: Agroportal