O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho passou de uma variação homóloga de 5,6% em outubro para 4,1% em novembro. Os dados são do INE, que numa nota publicada no seu site oficial revela que o crescimento do índice total refletiu a desaceleração nos segmentos de Produtos Alimentares e de Produtos não Alimentares em 1,4% e 1,6%, respetivamente, para taxas de variação de 3,4% e 4,7%.

Na comparação com o mês anterior, as vendas no comércio a retalho aumentaram 1,6% (2,8% em outubro), com os agrupamentos de Produtos Alimentares e de Produtos não Alimentares a crescerem 0,3% e 2,7%, respetivamente.

O INE revela ainda que “o índice de emprego no comércio a retalho aumentou 1,8% em termos homólogos” e que as remunerações pagas cresceram 4,1% em novembro face ao período homólogo.

Já o índice de horas trabalhadas, ajustado de efeitos de calendário, cresceu 1,6% face a igual período de 2017.

Recorde-se que, de acordo com o Eurostat, Portugal registou a segunda maior subida nas vendas a retalho na Zona Euro no mês de outubro de 2018, quando comparado com o mês anterior de setembro, cifrando-se este aumento nos 2,3%.

Fonte: Distribuição Hoje