* Produção de alimentos compostos para animais em 2012


Tendo em conta o universo dos associados da IACA, a produção de alimentos compostos para animais registou uma quebra de 1,8%, passando de 3 092 milhares de tons em 2011 para 3 037 milhares de toneladas em 2012.

Num cenário de agravamento da crise económico-financeira, com uma pecuária descapitalizada e uma economia em forte recessão, com perda de poder de compra da população portuguesa, registaram-se quebras na oferta de alimentos compostos para suínos (-5,0%) e bovinos (-2,0%), com os alimentos para aves a apresentarem uma relativa estabilidade (-0,2%) e os outos animais em alta (1,8%). O ano ficou marcado, sobretudo durante o primeiro semestre, pela seca extrema que afetou o País e que, apesar de tudo, travou a quebra na produção de alimentos para ruminantes, pelas crises do leite e da suinicultura e pela implementação das novas regras de bem-estar das galinhas poedeiras, em que os preços dos ovos e os investimentos em novas baterias, permitiu alguma recuperação da produção. Aliada a este facto, as exportações avícolas (aves e ovos) contribuíram igualmente para atenuar a crise do mercado interno ao nível da carne, o que explica a estabilidade da produção destes alimentos em 2012. No que respeita aos outros animais, a situação de seca impulsionou o aumento das produções de alimentos para pequenos ruminantes, o que aliado a uma alta nos alimentos para peixes, acabou por compensar a relativa estabilidade nos coelhos e a redução dos petfood.

Ao nível da estrutura de produção, os alimentos para aves mantiveram a liderança do mercado, com 41,9% (41,2% em 2011), seguindo-se os alimentos para suínos, que, uma vez mais, se situaram abaixo do limiar das 900 000 tons, com uma quota de 27,7% (28,7% em 2011) e os alimentos para bovinos, com 21,1% (21,2% no ano anterior). A crise do sector leiteiro, apesar dos problemas na carne foi, uma vez mais, a principal responsável pela diminuição da penetração do subsetor bovino. No que respeita aos alimentos para outros animais, registam uma quota de mercado de 9,3%, reforçando a posição do ano anterior em cerca de 0,3%.

 

Produção de Alimentos Compostos para Animais
(Empresas Associadas na IACA)
1000 Toneladas

2011

2012*

Var. %

Aves

1 274

1 271

-0.2

Bovinos

655

642

-2.0

Suínos

886

842

-5.0

Outros

277

282

1.8

TOTAL

3 092

3 037

-1.8


Como afirmámos publicamente, por diversas vezes ao longo do ano, esta redução da procura de alimentos compostos, pelo quinto ano consecutivo, decorre de uma conjuntura negativa que se arrasta desde o segundo semestre de 2007, aliada a problemas de natureza estrutural que conduziram o nosso Sector para uma crise sem precedentes no seu historial. Há muito que a Indústria esgotou a sua capacidade de financiamento da Pecuária, sendo necessária a adoção de medidas urgentes não só em Portugal mas ao nível da União Europeia, designadamente no quadro da futura PAC e do Programa de Desenvolvimento Rural para 2014/2020, que permitam promover as produções animais numa perspetiva de sustentabilidade, assegurando a viabilidade da indústria da alimentação animal. Nessa perspetiva, temos mantido alianças e Plataformas com todas as organizações da Fileira, no sentido de defender posições comuns, valorizar a produção nacional e inverter a tendência de delapidação dos efetivos e do nosso património genético.



© 2009 IACA - Todos os direitos reservados. - Design e Concepção: Tektix, Lda. Powered by InstantWEB